Os 10 Mandamentos da Due Diligence

Conheça as principais tendências que transformaram o que as empresas precisam fazer em relação à conformidade regulatória

Os métodos de Due Diligence mudaram muito nos últimos anos e continuam evoluindo de forma acelerada. Tradicionalmente, envolviam uma equipe de profissionais de compliance que pesquisavam manualmente documentos legais e contas financeiras para identificar riscos envolvidos em negócios com terceiros.

Em 2023, esse modelo está longe de ser suficiente para que uma empresa possa mitigar os crescentes riscos legais, financeiros, de reputação e estratégicos. A explosão de novas tecnologias, a necessidade de compreender os impactos ambientais, sociais e de governança corporativa (ESG, na sigla em inglês) e o aumento das ações de fiscalização contra falhas na Due Diligence impuseram uma nova realidade.

Sugerimos dez etapas que as empresas devem adotar para gerenciar esses riscos emergentes:

  1. Expansão regulatória: novas leis estão sendo criadas para regulamentar ações anticorrupção e as devidas diligências de ESG nas empresas.
  2. Maior fiscalização de agentes reguladores: para garantir que as empresas sigam as leis corretamente, diminuindo a possibilidade de casos de corrupção.
  3. Adesão ao movimento ESG: é obrigatório que as empresas entendam os impactos ambientais e de direitos humanos que suas atividades ou seus terceiros podem causar.
  4. Nova visão sobre Due Diligence: enxergá-la como uma oportunidade de ser uma empresa percebida como exemplo às demais.
  5. Preparação para eventos adversos: crise econômica e questões ambientais, que antes eram eventos raros e alarmantes, agora estão presentes no nosso dia a dia. É preciso saber lidar em momentos de crise.
  6. Controle dos riscos crescentes na cadeia de suprimentos: cada vez mais pessoas são envolvidas nessa cadeia, e isso é um desafio para os responsáveis pela Due Diligence. É preciso fazer o controle exato de todos a fim de evitar danos à reputação da empresa.
  7. Monitoramento de desinformações e ruídos: com o aumento de informações e a propagação de notícias falsas, os profissionais de compliance precisam monitorar o que está sendo falado sobre a marca. É necessário utilizar ferramentas confiáveis de monitoramento para ter um controle seguro e completo.
  8. Atualização sobre sanções vigentes: devido aos grandes conflitos e mudanças pelo mundo, as sanções também precisam estar em constante atualização, o que exige atenção redobrada das empresas para estarem em dia com todas as regulamentações exigidas.
  9. Aceleração da tecnologia: utilizar as tecnologias emergentes a favor da empresa oferece vantagens competitivas no setor de compliance.
  10. Novas pressões sobre compliance: os profissionais responsáveis por essa área têm hoje maiores responsabilidades, o que inclui revisar uma gama mais ampla de fontes para identificar riscos ESG; identificar riscos antes mesmo de surgirem; aconselhar a alta administração sobre gerenciamento de riscos; contribuir para a receita e o lucro responsável da empresa; compreender e adotar novas tecnologias para otimizar o processo de conformidade.
Entrar em contato
Por que nos contatar?
  • Ajudamos a tomar decisões com base em dados confiáveis
  • Contribuímos para um trabalho mais eficiente
  • Ficamos felizes em aconselhá-lo para um trabalho personalizado
  • Ficamos felizes em mostrar as possibilidades com  nossas fontes e recursos em todo o mundo